S.G.S_SÓ O GROOVE SALVA

S.G.S_Só o Groove Salva_Playlist por Nado Leal

A trajetória do Produtor Musical e DJ Nado Leal, amigo de longa data, dispensa comentários. O ‘groove’ pesado dos seus ‘sets’ esteve por aqui desde sempre... ‘Só o Groove Salva’ playlist assinada pelo próprio, com tudo que se tem direito. Quem assina a arte da capa é Rod FBC.

Merah-15.jpg
Merah-52.jpg
Merah-48.jpg
Merah-111.jpg
Merah-4.jpg
CAPA SGS.jpg

Haze Machine_COVERS

Para criar a Haze Machine, nova playlist para a Merah, Rafael Meliga seguiu um clima de encontro de final de tarde, com amigos, tomando uma cerveja. Para isso, ele misturou “tanto clássicos quanto coisas mais atuais como Hype Williams (da dupla Dean Blunt e Inga Copeland). De Cabaret Voltaire a Oneohtrix Point Never. De John Fahey a Dylan Carlson.”

Pra ouvir é só clicar aqui:

http://ow.ly/m6Dt30gaE8k

HAZE MACHINE

 
 
Capa.jpg

Está no ar a playlist Haze Machine, de Rafael Meliga para a Merah. Montada a partir de referências de Rafael e misturando clássicos com sons atuais, ela segue clima de encontro de final de tarde, com amigos, tomando uma cerveja.

<

Além da música e ilustração como expressão, o designer também fotografa. Foi Meliga que fez os primeiros registros do nosso estúdio. E tudo em analógica, que é como ele se sente mais à vontade para captar os momentos que chamam sua atenção.

 

Sobre sua relação com a fotografia, ele diz: “A foto apareceu no meio faculdade. Era uma matéria obrigatória. As aulas ainda eram em filme, a fotografia digital ainda estava aparecendo. Tive sorte de começar a trabalhar revelando, ampliando, eram horas no dark room. Em 2013 comprei de novo uma câmera de 35 mm e desde então foto virou novamente uma prioridade na minha vida.”

 

Em 2015, veio o convite da Lívia, da BEIRA, para fotografar sua campanha. “Acho que foi meu primeiro grande projeto. Fiquei muito feliz de ter feito e me fez ter mais projeção. E um dos principais fatores da Lívia ter me chamado era o fato de eu trabalhar só com filme.”

 

E o que passa pelo olhar e merece um registro? “No início era muita paisagem, contemplação, situações solitárias. De um tempo pra cá, pessoas começaram a aparecer. O quarteirão da minha casa (no Humaitá) e o quarteirão do meu trabalho (na Tijuca) viraram os temas mais corriqueiros. Gosto desse momento ordinário, rotineiro. Acho que a conexão com o primeiro momento (das paisagens) é o fato deu procurar as pessoas geralmente em um momento, sós, ou até contemplativo.

Existem momentos que me chamam atenção e sinto vontade de registrá-los. Acho que é bem simples assim mesmo.”

 

A gente também. Simples. Antes de tudo.

FLASH DAY

O Estúdio Merah inicia suas atividades reunindo os amigos tatuadores Henrique Mattos, Marcos Ribeiro e Rafael Plaisant para um Flash Day com boa música e cervejas.